O QUE SERÁ, QUE SERÁ…

Sábado, 10 de abril de 2021… Com a pandemia acontecendo em torno de nós todos, modificando cursos de acontecimentos e pessoas… Não há quem não fique se indagando: O QUE SERÁ, QUE SERÁ… Mesmo eu que já trafeguei oitenta e poucos anos, nesse trajeto que já está para terminar, tenho momentos tomados por esta inquirição.

Torna-se óbvio que a interrogação já se tornou tema de canção como a que flagramos, cantada por Milton Nascimento e Chico Buarque, acompanhem comigo no vídeo abaixo… Elis estava certa quando disse que se Deus cantasse seria com a voz de Milton. Esses 38 segundos iniciais é como uma espécie de Gênese… Com Ele abrindo a boca e fazendo um universo explodir… Da pra ver as estrelas, os planetas, os asteroides… Todos os astros brilharem e se expandir. E quando Ele cala, fica um eco profundo no espaço, como se todos nós tivéssemos consciência de ter acabado de nascer com a explosão vocal desse Deus. Grande!

O que será que me dá… Que me bole por dentro, será que me dá
Que brota à flor da pele, será que me dá… E que me sobe às faces e me faz corar
E que me salta aos olhos a me atraiçoar… E que me aperta o peito e me faz confessar
O que não tem mais jeito de dissimular… E que nem é direito ninguém recusar
E que me faz mendigo, me faz suplicar… O que não tem medida, nem nunca terá
O que não tem remédio, nem nunca terá… O que não tem receita…

O que será que será… Que dá dentro da gente e que não devia

Que desacata a gente, que é revelia… Que é feito uma aguardente que não sacia
Que é feito estar doente de uma folia… Que nem dez mandamentos vão conciliar
Nem todos os ungüentos vão aliviar… Nem todos os quebrantos, toda alquimia
Que nem todos os santos, será que será… O que não tem descanso, nem nunca terá
O que não tem cansaço, nem nunca terá… O que não tem limite…

O que será que me dá… Que me queima por dentro, será que me dá
Que me perturba o sono, será que me dá… Que todos os tremores me vêm agitar
Que todos os ardores me vêm atiçar… Que todos os suores me vêm encharcar
Que todos os meus nervos estão a rogar… Que todos os meus órgãos estão a clamar
E uma aflição medonha me faz implorar… O que não tem vergonha, nem nunca terá
O que não tem governo, nem nunca terá… O que não tem juízo

…E todos nós obtivemos o direito de saber…

O QUE SERÁ, QUE SERÁ

Esse post foi publicado em CRÕNICAS DE UM IDOSO. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para O QUE SERÁ, QUE SERÁ…

  1. ROBSON WAGNER DE SOUZA disse:

    … O QUE VIRÁ, QUE VIRÁ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s