METAMORFOSE…

Domingo, 11 de abril de 2021… Pela lei natural, consta que a portentosa borboleta de agora foi gerada de uma lagarta, num processo metamórfico impressionante… Será que a passagem de um ser humano para outro plano espiritual, possa ter alguma espécie de analogia com tal fato?

Assim tipo, uma bela lagarta que termina a existência envolta numa crisálida que mais tarde se rompe e dá passagem para a pequena mariposa que com o tempo, vê-se borboleteando aí, mundo afora… A crisálida se decompõe mas a borboleta perdura!

Pode ser uma suposição tola mas, sendo suposição, nada me impede de imaginar e atingir a conclusão de que a FICTÍCIA — com quem acabei de firmar SÉRIO COMPROMISSO — poderia se encontrar comigo, agitando suas asas, no outro plano espiritual, depois de nossa morte…

Aí eu cantaria a canção OS AMANTES… Esse clássico da Música Popular Brasileira, criação de Luiz Ayrão, ainda hoje mexe com o coração dos amantes de todas estas décadas e eu diria todos as encarnações… E este arranjo com Roberta Sá, Paulo Myclos e Demônios da Garoa, ficou muito jóia e sensacional, mexeu com minhas emoções novamente!

Qualquer dia, qualquer hora… A gente se encontra… Seja onde for, pra falar de amor…
Qualquer dia, qualquer hora… A gente se encontra… Seja onde for, pra falar de amor…

Pra matar a saudade da felicidade…. Dos instantes que juntos passamos…
E promessas juramos… Reviver os momentos de sonho e de paixão….
Das palavras loucas vindas do coração…

Meu amor… Ah, se eu pudesse te abraçar agora… Poder parar o tempo nessa hora…
Pra nunca mais eu ver você partir… Meu amor…

Meu amor… Ah, se eu pudesse te abraçar agora… Poder parar o tempo nessa hora…
Pra nunca mais eu ver você partir…

Pra matar a saudade da felicidade…. Dos instantes que juntos passamos…
E promessas juramos… Reviver os momentos de sonho e de paixão….
Das palavras loucas vindas do coração…


Meu amor… Ah, se eu pudesse te abraçar agora… Poder parar o tempo nessa hora…
Pra nunca mais eu ver você partir… Meu amor…
Meu amor… Ah, se eu pudesse te abraçar agora… Poder parar o tempo nessa hora…
Pra nunca mais eu ver você partir…

E lá estaria eu amando minha linda lagarta, trasmudada em bela e esvoaçante borboleta, por efeito da…

METAMORFOSE.

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s